impostos sobre vendas

5 impostos sobre vendas no Brasil para você ficar atento

O pagamento de tributos faz parte da realidade de qualquer empresa. Além dos valores que incidem sobre matérias-primas e contratos trabalhistas, há os impostos sobre vendas. Nesse caso, um aumento das conversões leva a mais resultados e impostos.

Conhecê-los é importante para fazer um bom controle fiscal. Isso permite pagar todos os tributos em dia e, principalmente, manter a regularidade do empreendimento. Além de tudo, é uma forma de estabelecer a precificação correta e o relacionamento com clientes, considerando os descontos incidentes.

Não sabe quais são as alíquotas e nem como elas incidem? A seguir, trazemos 5 impostos cobrados sobre vendas no Brasil que você deve conhecer. Confira!

1. ICMS

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços tem caráter estadual e ajuda a garantir que os estados recebam os repasses utilizados na estrutura, como rodovias regionais.

Como é local, seu valor é definido por estado. A alíquota varia de 12 a 25% sobre a base de cálculo, que inclui o preço do produto e o frete. Para manter as margens, é comum repassar a cobrança para o cliente — e tudo deve estar explícito na nota fiscal.

2. ISS

Ainda nos impostos sobre vendas de caráter local, o Imposto sobre Serviços é municipal. Ele é voltado para os prestadores de serviços, então, lojas e indústrias ficam de fora.

Também é definido por Prefeitura e tem uma cobrança que varia, em média, de 1 a 5% do total da nota fiscal. Mesmo que ele não seja incidente sobre mercadorias físicas, é aplicável a todo contrato fechado por uma empresa do terceiro setor, o que demanda bastante atenção.

3. IPI

Não podemos deixar de citar o Imposto sobre Produtos Industrializados. Como o próprio nome revela, ele é ligado à industrialização e não incide sempre. Se o item for vendido como foi fabricado, não há a cobrança.

Para estimular o consumo, é frequente que o governo ofereça descontos e até a isenção, por um determinado período. A alíquota varia com os produtos e chega a até 30%.

4. PIS e COFINS

O Programa de Integração Social e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social são impostos federais. Eles não incidem em cada venda e, sim, em todo o faturamento. São voltados para o financiamento de certos benefícios concedidos pelo Governo e, por isso, são obrigatórios.

As alíquotas mudam com o modelo de tributação, tipo da empresa e tamanho do estabelecimento. Mas podemos adiantar que o PIS varia de 0,65 a 1,65% do total arrecadado, enquanto o COFINS vai de 3 a 7,6%.

5. IRPJ

O Imposto de Renda para Pessoa Jurídica é mais um tributo obrigatório para qualquer empreendimento. A declaração acontece de forma semestral e ocorre segundo o faturamento.

A alíquota varia com cada regime e desempenho da empresa. No Lucro Presumido, o valor pode chegar a apenas 1,2% do faturamento. No Lucro Real, pode atingir 25%.

Fazer o controle fiscal do negócio inclui, entre outras coisas, conhecer os impostos sobre vendas. Ao mesmo tempo, a tarefa pode se tornar complexa, então é importante ter bastante atenção. Para simplificar a etapa e vencer desafios, indicamos o uso de ferramentas tecnológicas.

Não fique de fora de nenhuma novidade! Assine a nossa newsletter e esteja sempre por dentro das melhores dicas.

Powered by Rock Convert

Quer saber mais sobre gestão e vendas? Assine nossa newsletter!

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.